quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Em Anajatuba pregoeiro é denuciado por agredir mulher. Disse que não podia ser preso, é que ele não conhecia o delegado MORITA de ITAPECURU. Acompanhe o caso


Em Anajatuba MA.
mulher registrou queixa e o cabo Carlos Henrique procurou para enquadrar o agressor, que disse não podia ser preso por ser irmão do promotor de Anajatuba, Carlos Augusto Soares.

O militar ligou para o delegado Samuel Morita, de Itapecuru, cidade vizinha a Anajatuba, para informar o caso. A autoridade policial mandou chamar o pregoeiro, que lhe falou ser de Teresina e que veio para Anajatuba por recomendação do promotor.

O delegado não quis saber de papo e prendeu em flagrante o agressor, além de enquadrá-lo na Lei Maria da Penha. Ele foi solto depois e foi deslocado para o cargo de coordenador cultural, protegido que é do prefeito Sidney Pereira e do promotor.

Aliás, naquela cidade não existe nenhuma manifestação do Ministério Público contra o atual prefeito. E quando são levadas denuncias ao promotor, ele simplesmente as recusa alegando que se trata de perseguição política.

Com a palavra a Corregedoria da Procuradoria Geral de Justiça do Maranhão.

Acompanhe o Blog do Luis Cardoso 
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Luzimar Rodrigues