segunda-feira, 21 de maio de 2018

Escapou por um TRIZ Maranhense marcou encontro pela net e foi estuprada no Rio de Janeiro

Atraída para uma cilada, após um bate papo pelas redes sociais, uma estudante de 23 anos, moradora do Maranhão, no Nordeste, foi mantida em cárcere privado e violentada por seis dias, em um conjunto de favelas no Rio de Janeiro. O drama da jovem, que é mãe de uma criança de pouco mais de um ano, começou quando ela deixou uma cidade do interior do estado e foi para São Luís, na capital maranhense. De lá, ela pegou um voo para o Rio, onde chegou no Aeroporto Internacional Tom Jobim, no último dia 14.

Mauro de Oliveira Siqueira, de 50 anos, que conheceu a vítima pela Internet, buscou X. no aeroporto e a levou diretamente para uma casa de uma das comunidades da Reta Velha, em Itaboraí, na Região Metropolitana do Rio. Segundo o delegado Vilson de Alemida Silva, da 71ª DP (Itaboraí), a mulher se recusou a fazer sexo com Mauro e passou a ser violentada.

— Eles apenas conversaram por um site de relacionamento. O Mauro pagou as despesas com passagens para conhecê-la pessoalmente. Ela foi levada para a Reta Velha e como não quis se relacionar com ele, passou a ser estuprada. O Mauro também a impedia de sair da casa e a mantinha em cárcere privado — disse o delegado.

No último sábado, a jovem aproveitou um momento em que Mauro estava dormindo e teve acesso a um celular. X. passou uma mensagem pedindo ajuda para um parente, que estava em São Paulo. o familiar acionou uma prima da vítima, que mora na Zona Norte do Rio.

Esta última foi até a 71ª DP, no fim da noite de sábado, e relatou o que havia acontecido com a jovem. Policiais iniciaram a investigação descobrir o endereço exato da casa onde a mulher era mantida em cárcere privado . Ao saber que a polícia estava prestes a invadir o conjunto de favelas, traficantes obrigaram Mauro a levar X. para a delegacia.

Ao chegar à unidade policial, já no domingo, ele foi preso . X. prestou depoimento e confirmou que vinha sendo violentada e impedida de deixar o local. Segundo o delegado, Mauro foi autuado em flagrante por crimes de estupro e cárcere privado. Segundo o delegado, antes de ir ao encontro de uma pessoa desconhecida, com quem só havia feito contato pelas redes sociais, é necessário ter uma série de cuidados.

— É bom sempre marcar em um local público, avisar a parentes do que está ocorrendo, e preferencialmente ir ao encontro acompanhado de uma pessoa de confiança — disse o delegado.

De acordo com a polícia, em caso de condenação, Mauro de Oliveira Siqueira pode pegar uma pena de até 13 anos de prisão. X. Já está na casa de um parente no Rio e deve voltar em breve para o Maranhão.

Informações do Extra/

0 comentários:

Postar um comentário